sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Paulo Vanzolini - Onze sambas e uma capoeira (26/11/2010)

Ôba, mais um disco da Marcus Pereira. Quando a gente vê Marcus Pereira, não precisa ouvir, já sabe que é bom. Em outra ocasião, escrevo mais sobre a gravadora Marcus Pereira. Vamos ao disco de hoje, de Paulo Vanzolini, onze sambas e uma capoeira. Paulo Vanzolini é um dos maiores zoólogos do Brasil. Sua especialidade é herpetologia, o estudo dos répteis. Ele chefiou, por 30 anos, o Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo; quando assumiu o Museu, ele tinha 1.200 espécimens; com intenso trabalho de coleta, Vanzolini conseguiu aumentar o acervo para 170 mil espécimens. Mas o que isso tem a ver com o disco? Tudo. Paulo Vanzolini tem a biologia por profissão, mas, na década de 1940, em São Paulo, onde nasceu, cresceu, estudou e sempre viveu, começou a compor sambas. Suas influências eram os sambistas paulistas com quem ele convivia, saía para tomar cerveja. Em 1945, ele compôs seu primeiro grande sucesso, “Ronda”, gravado apenas em 1953, por Inezita Barroso. Em 1962, mostrou o samba “Volta por cima” para Inezita Barroso, que acabou decidindo não gravá-lo. Ele foi gravado pelo cantor Noite Ilustrada, e virou sucesso nacional. Desde então, a expressão “dar a volta por cima” caiu na boca do povo. Hoje em dia, está no Dicionário Aurélio, com direito à citação da música: Dar a volta por cima. Superar uma situação difícil: 'ali onde eu chorei/ qualquer um chorava/ Dar a volta por cima que eu dei/ quero ver quem dava’.
Esse disco foi produzido em 1967, por Luiz Carlos Paraná e Marcus Pereira. Ele traz as composições de Vanzolini interpretadas por grandes artistas, como Chico Buarque, que canta “Praça Clóvis” e “Samba Erudito”. Quem canta “Ronda” é Cláudia Morena, e, ao grande amigo Luiz Carlos Paraná, coube a interpretação de “Capoeira do Arnaldo”. Essa música, segundo ele mesmo disse em entrevista, é a composição que ele mais gosta. Sobre Ronda, ele falou: Fiz a música em 1945, no tempo em que andava na zona. Vocês vêem que é um negócio de uma pieguice tremenda... Outra coisa que ele insiste em dizer é que nunca levou a música a sério, e que não tem o menor jeito para a coisa. Imagina se tivesse. Tem outras pérolas polêmicas de Paulo Vanzolini, agora com 73 anos, em uma entrevista que deu para um jornal científico.


Face A

1-     Samba erudito (Paulo Vanzolini) Chico Buarque de Holanda
2-     Amor de trapo e farrapo (Paulo Vanzolini) Mauricy Moura
3-     Chorava no meio da rua (Paulo Vanzolini) Cristina
4-    Juízo final (Paulo Vanzolini) Adauto Santos
5-     Ronda (Paulo Vanzolini) Cláudia Morena
6-     Napoleão (Paulo Vanzolini) Luiz Carlos Paraná

Face B

1-      Capoeira do Arnaldo (Paulo Vanzolini) Luiz Carlos Paraná
2-     Praça Clóvis (Paulo Vanzolini) Chico Buarque de Holanda
3-     Cravo Branco (Paulo Vanzolini) Adauto Santos
4-     Morte e paz (Paulo Vanzolini) Cláudia Morena
5-     Leilão (Paulo Vanzolini) Luiz Carlos Paraná
6-     Volta por cima (Paulo Vanzolini) Mauricy Moura

Nenhum comentário: