quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ivon Cury - 1971 - Ivon de todos os tempos - (14.10.2010)

Ivon Cury foi um artista de muitos talentos, bem sucedido como cantor, compositor e ator. Ele nasceu em Caxambu, Minas Gerais, em 1928, e, ainda muito jovem, ganhou um concurso de calouros. Adolescente, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro. Sua carreira artística foi iniciada em 1947, quando foi contratado como crooner da orquestra do maestro Zaccarias, do Hotel Copacabana Palace. Em 1948, estreou no programa "Ritmos da Panair", da Rádio Nacional. Por coincidência, este programa tinha o patrocínio da empresa aérea onde ele trabalhou antes de iniciar sua carreira como cantor. No mesmo ano, foi convidado por Braguinha (João de Barro), diretor artístico da gravadora Continental, para gravar o sucesso internacional da época, "Nature boy". Foi, então, lançado o 78 rpm, que incluiu também sua interpretação para "Adeus”, samba de Dorival Caymmi. Daí por diante, Ivon teve uma carreira plena. Fez inúmeros trabalhos como cantor, ator e compositor. A última atuação de sua vida foi interpretando o gaúcho Gaudêncio, na Escolinha do Professor Raimundo.
Esse disco que posto para vocês, lançado em 1971, é uma coletânea de toda a carreira de Ivon até então. Nele, há composições de Ivon, e suas interpretações para músicas de grandes compositores, como Luiz Gonzaga e Zé Dantas. Sobre esse disco, o adjetivo que melhor o descreve é pitoresco. As composições de Ivon Curi evidenciam um bom-humor extremamente inteligente. Como, por exemplo, na primeira faixa do Lado A, chamada O Chato (Eu tenho um amigo / Ele é muito bonzinho, direitinho / É amigo meu de fato / Mas, meu Deus, como é chato! / Vou para onde for / Ele mesmo se convida e põe-se ao lado / Educado e bom de trato / Mas, meu Deus, como é chato!). Pois é, quem não tem um amigo assim? Ivon também selecionou músicas, de outros compositores, repletas de ironias. Sua interpretação para todas essas canções também mostram que, quando cantava, não deixava de ser ator. Por isso, é muito bom ouvir Ivon Curi. Fora isso, ele tinha voz de cantor de rádio, e suas interpretações para músicas de Luiz Gonzaga e Zé Dantas (Xote das Meninas e Xote Miudinho) são belas. Apreciem!


IVON DE TODOS OS TEMPOS

Lado A

1-      O chato (Ivon Curi – Paulo N. Gesta)
2-     João Bobo (Ivon Curi)
3-     Vai lá (Anselmo Mazzoni)
4-     Baião das velhas cantigas (Jair Amorim)
5-     Serenata desafinada (Al quem plantou as estrelas, da peça “Maria da Ponte”)
(Guilherme Figueiredo – Aloísio Alencar Pinto)
6-     Farinhada (Zé Dantas)

Lado B


1-      Procurando tu (J. Luna – Antonio Barros)
2-     Comida de pensão (Francisco Balbi – Miguel Miranda)
3-     Taí no que dá (Luis Vieira)
4-     O xote das meninas (Zé Dantas – Luiz Gonzaga)
5-     Se fizer bom tempo (Ivon Cury)
6-     Xote miudinho (Zé Dantas – Luiz Gonzaga)



2 comentários:

7io9o ... 33 disse...

Olá amigo, ha muito tempo procuro esse disco de Ivon Curi. Porém, o link leva ao download de um disco de Paixão Cortês. Vc pode arrumar o link por gentileza. Desde já agradeço! Parabéns pelo blog.

Acervo Origens disse...

Olá amigo

o link já foi corrigido

obrigado pelo alerta !

Abraços