quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Elis & Jair - Dois na bossa (17/11/2010)

Esse disco é do início da carreira de uma das maiores cantoras do Brasil, Elis Regina, que formou uma das mais belas parcerias da música brasileira, com um dos melhores intérpretes de samba e bossa de todos os tempos, Jair Rodrigues. E tudo isso não é exagero. O disco, de 1965, foi gravado um ano depois que Elis, nascida no Rio Grande do Sul, passou a morar no Rio de Janeiro. A estrela de Elis brilhava tanto que em um ano no Rio, ela fez inúmeras apresentações e gravações. Foi nesse mesmo ano, antes de gravar este disco, que ela venceu o I Festival Nacional de Música Popular Brasileira da TV Excelsior, cantando "Arrastão" (Edu Lobo e Vinícius de Morais; está na faixa 2 do lado B), recebendo o prêmio Berimbau de Ouro. A partir desse festival, Elis ganhou projeção nacional.  Dois dias depois do festival, estreou no Teatro Paramount, em São Paulo,  o show "Elis, Jair e Jongo Trio", produzido por Walter Silva. O espetáculo foi gravado ao vivo e, depois,  lançado no LP "Dois na bossa", que é esse que vocês vão escutar.  Esse disco fez um sucesso estrondoso - claro, porque Elis cantando com Jair Rodrigues era espetacular -, e rendeu à dupla um programa na TV Record, chamado “O Fino da Bossa”, que ficou no ar por dois anos. Esse disco é uma obra-prima. Os três pout-porris de samba são geniais; por sinal, eles faziam muito sucesso com o público. Fora isso, tudo é muito bom. Difícil é a tarefa de selecionar os destaques, mas arrisco Upa Neguinho, Louvação e Arrastão. Esta última tem a interpretação visceral de Elis, cantando de um jeito que poucos são capazes. Além disso, reparem na afinação de Elis e Jair: não tem nota fora, os dois mostram domínio total da voz e do canto. Coisa rara. Um disco para ouvir e ficar de boca aberta.


Lado A

1-Pot-pourri
a)     O morro não tem vez (A.C. Jobim – Vinicius de Moraes)
b)     Feio não é bonito (Carlos Lyra – Guarnieri)
c)      Samba do carioca (Carlos Lyra - Vinicius de Moraes)
d)     Este mundo é meu (Sérgio Ricardo – Ruy Guerra)
e)      A felicidade (A.C. Jobim – Vinicius de Moraes)
f)       Samba do negro (Roberto Corrêa – Sylvio Son)
g)     Vou andar por aí (Newton Chaves)
h)     O sol nascerá (A sorrir) (Cartola – Elton Medeiros)
i)       Diz que fui por aí (Zé Kéti – E. Rocha)
j)       Acender as velas (Zé Kéti)
k)     A voz do morro (Zé Kéti)
l)       O morro não tem vez (A.C. Jobim – Vinicius de Moraes)

2- Louvação
(Gilberto Gil – Torquato Neto)
3- Preciso aprender a ser só
(Marcos Valle – Paulo Sérgio Valle)
4- Zigue – Zague
(Alberto Paz – Edson Menezes)
5- Menino das laranjas
(Théo)
6- Tristeza – Jair Rodrigues
(Haroldo Lobo – Niltinho)

Lado B

1-Pot-pourri
a) Introdução (Elis Regina – Jair Rodrigues)
b) Samba de mudar (Geraldo Vandré – Baden Powell)
c) Não me diga adeus (Paquito – L. Soberano – J.C. Silva)
d)Volta por cima (Paulo Vanzolini)
e) O neguinho e a senhorita (Noel Rosa de Oliveira – A. de Silva)
f) E daí? (Miguel Gustavo)
g) Samba de mudar (Geraldo Vandré – Baden Powell)
h) enquanto a tristeza não vem (Sérgio Ricardo)
i) Carnaval (D. Ferreira – A. Alves)
j) Na ginga do samba (Ataulfo Alves)
k) Guarda a sandália dela (Sereno – G. Mathias)
l) Samba de mudar (Geraldo Vandré – Baden Powell)

2- Arrastão
(Edu Lobo – Vinicius de Moraes)
3- Reza
(Edu Lobo – Ruy Guerra)
4- Pot-pourri da Mangueira
a) Mangueira (Assis Valente – Zequinha Reis)
b) Fala Mangueira (Mirabeau – Milton de Oliveira)
c) Exaltação a Mangueira (Enéas Brito da Silva – Aloísio Augusto da Costa)
d) Mundo de zinco (Nássara – Wilson Batista)
e) Levanta Mangueira (Luiz Antonio)
f) Despedida de Mangueira (Aldo Cabral – Benedito Lacerda)
g) Pra machucar meu coração (Ary Barroso)
5- Upa, neguinho – Elis Regina
(Edu Lobo – G.Guarnieri)

2 comentários:

Litieh disse...

Os links não estão funcionando.

Litieh disse...

Me desculpe, agora funcionou. Obrigada.