quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Pinduca No embalo do carimbó e sirimbó (03/08/2011)

O Dicionário do Folclore Brasileiro, de Luiz da Camara Cascudo, define o Carimbó como dança negra, brasileira, de roda, em Marajó, arredores de Belém, no Pará (...). A dança do carimbó ocorre na área pastoril de Soure (Marajó), nas zonas de lavradores do Salgado (Curuçá, Marapanim, Maracanã), tanto na terra firme, como nas praias. A palavra Carimbó é de origem tupi: curi que significa pau oco, e mbó que significa furado. Com o passar do tempo, o termo foi sofrendo variações: curimbó, corembó, corimbo, curimã.. O Carimbó é um gênero musical que, como muitos outros, surgiu juntamente com uma dança. Ele era, originalmente, um ritmo indígena dos índios tupinambás, que habitavam o norte do Brasil, e tinha mesmo aquela monotonia típica das danças indígenas. Os negros, que foram em grande quantidade para o norte, no ciclo da borracha, então, começaram a introduzir alterações no ritmo, para que pudesse ser dançado com mais ginga, e inseriram coisas dos batuques africanos, tanto na música quanto na dança. Os portugueses, por sua vez, inseriram elementos das musicas e danças europeias como, por exemplo, os dedos castanholando e marcando o ritmo. Então, o carimbó é um gênero brasileiríssimo, porque surgiu a partir da mistura de elementos indígenas, africanos e europeus, os três tendo igual influência e importância.
A alma do Carimbó, como o próprio nome já diz, são os tambores. Eles são feitos de troncos de árvores escavados, com uma abertura lateral em toda a extensão para emissão do som, e fechados numa das extremidades por pele de animal silvestre. Os outros instrumentos que tocam o Carimbó são reco-reco, violá, ganzá, banjo, maracás e flauta.  O Carimbó tem uma vestimenta típica. Os homens com blusas lisas ou estampadas sobre calças lisas; lenço no pescoço, chapéu de arumã. As mulheres usam blusas que deixam ombros e barriga à mostra, muitos colares e pulseiras feitos de sementes da região, e saias rodadas ou franzidas coloridas ou estampadas. Elas usam flores ou arranjos na cabeça, e vários enfeites. Homens e mulheres dançam descalços.
O Carimbó saiu do contexto rural amazônico, urbanizou-se e é hoje uma expressão da cultura nortista da maior relevância. Pinduca, conhecido como o Rei do Carimbó, é um de seus representantes mais célebres. Esse disco, gravado em 1976, é de enorme importância em sua carreira, porque se transformou em uma das principais referências do gênero Carimbó. Mais interessante é constatar que a origem da lambada, ritmo brasileiro de grande sucesso nas décadas de 1980 e 1990, é associada a esse disco, que tem uma música denominada Lambada. Essa é considerada a primeira gravação de uma lambada.


Lado A

1-Lári lári ê – Lári Lári (Pinduca – Maria Isabel Pureza).
2-Minha Maria – Sirimbó (Pinduca)
3-Carimbo do Pará – Carimbo (Pinduca)
4-Passarinho – Carimbo (Pinduca – João Antonio de Oliveira)
5-Vaqueiro – Carimbo (Pinduca – João Antonio de Oliveira)
6-Lambada – Sambão (Pinduca)

Lado B

1-Comancheira – Yô, yô, yá, yá (Comancheira) (Pinduca)
2-Lá lariá – Lári, lári(Pinduca – Edualvaro Magno Marques)
3-Coisa boa do Pará – Carimbo(Pinduca – Carlos Santiago Mamede)
4-Boca de forno – Carimbo (Pinduca)
5- Comprando fiado – Sirimbó (Pinduca – Carlos Santiago Mamede)
6- Mutirão – Carimbo (Pinduca – Nauar)

4 comentários:

Azevedo Dias disse...

Andei pesquisando na Internet, e em praticamente todos os sites, nos textos que li e que tratam das origens do Carimbó, consta a informação que o ritmo do carimbó deriva do batuque africano. Explique-me como a pessoa que escreveu isso pode afirmar com toda certeza que o ritmo é africano. Não haveria a possibilidade de o ritmo ser indígena, já que o tambor é indígena. Ou será que somente o povo africano tem ritmo?

Outra pergunta: Quem é que criou esse mito que os ritmos brasileiros são todos de origem africana? Será que tanto os portugueses quanto os indígenas são seres incapazes?
Se isso for verdade, chegaríamos à conclusão que sem os africanos, no Brasil não essa grande variedade de rítmica. Será???

Vale lembrar que estamos falando de um ritmo da região próxima a Belém do Pará , cuja cultura e traços típicos característicos de população são totalmente diferentes de Salvador, Recife, Rio de Janeiro e por aí vai....

J Thyme...kind disse...

Thank you!

Musicalango Blg disse...

Caro Azeedo Dias, estou também fascinado e interessado pelo Carimbó. Essas dúvidas que você tem são bastante razoáveis, concordo que não deriva apenas do africano. Talvez outras fontes já tenham completado seu entendimento.
Carimbó parece ser uma cultura passada mais pela dança que pela música. Aliás, é um ritual. É dito que a dança com o corpo inclinado e o movimento dos pés é herança indígena; quanto ao ritmo é marcante o africanismo. Decerto os ritmos brasileiros são muito influenciados e sem o africano a variedade não seria tão grande.
Quanto ao Europeu, mais arraigado à música erudita, mas também a danças folclóricas de carnaval, bem não sei o quanto ele influenciou.
A melhor influência musical européia que conheço foi o rapidamente influenciou baião e coco...
Enfim, já vi dizer que o carimbó é uma das que mis tem influência da miscigenação, das 3 etnias que formaram o Brasil.
Estou pensando em fazer uma postagem no meu blog, musicalango.blogspot.com, caso se interesse recomendo também os posts sobre cumbia ;)
Obrigado

djlatino7 disse...

Muito obrigado, amigo. Valeu...!!!