sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Trio Marabá - Compacto 10pol

Texto: Gabriela Tunes

O disco de hoje é do Trio Marabá, um conjunto vocal que atuou na década de 1950, alçando relativo sucesso. Formado por Pancho, Panchito e Carmem Duran, há pouca informação sobre o conjunto disponível na Internet. 

A primeira gravação do trio data de 1951, e trata-se de um 78 rpm, lançado pela gravadora Star, contendo o samba “Minha História”, de Panchito, e a canção de nome “Ribeira”, de autoria de Pancho e Panchito. No mesmo ano, lançaram outro 78 rpm, com os sambas “Castigo de Deus”, de J. Carlos Ferraz e W. Melo, e “Saudade do Lar”, de Arlindo de Oliveira e Celso Vilaça. Em 1952, gravaram, de Panchito, a canção “Eu Não Posso” e, de Panchito e Hami Reis, o samba “Deus, Perdoai”. Também em 1952 gravaram o rasqueado “Cidades de Mato Grosso”, de Mário Zan e Arlindo Pinto, e o bolero Aventureira, de Agostin Lara em versão de Ariovaldo Pires. 


Em 1953, gravaram mais três músicas: o samba-canção “Nem Eu”, de Dorival Caymmi, a marcha “Por que choras, palhaço?”, de Vladimir de Melo, Marciano Neto e Edson Ribeiro e o samba-canção “Risque”, de Ary Barroso. E foi também em 1953 que gravaram “Mulher Rendeira”, a gravação mais popular do trio. Ainda gravaram Ninguém Me Ama, clássico da música de fossa, de Fernando Lobo e Antônio Maria, que também rendeu certo sucesso. 

 Os dois anos seguintes, 1954 e 1955, foram as últimas atuações do Trio Marabá. E essas são as únicas informações disponíveis desse trio que, embora tenha tido carreira curta, era muito bom. 




2 comentários:

San disse...

Saudades de escutar a minha avó cantando. Saudades eterna. ❤️💋🙏

San disse...

Saudades de escutar a minha avó cantando. Saudades eterna. ❤️💋🙏