terça-feira, 31 de março de 2009

Banda de Pífanos de Caruaru - 1979




Esta publicação é uma colaboração conjunta do amigo Maxwell Rodrigues, de Goiânia, que nos enviou o LP, e da amiga Gabriela Tunes que fez o texto.
Eu não tinha este disco. Conhecia algumas músicas apenas, mas me impressionei (como sempre !) com outras como "Cavalinho, Cavalão" e "OsTupinambás".
Agradeço aos dois pela dedicação.

1979 - Banda de Pífanos de Caruaru
A Banda de Pífanos de Caruaru é sem dúvida o mais conhecido grupo de pífanos. Foi criada em 1924 (vejam, são quase 90 anos de existência!) por Manoel  Clarindo Biano, que ensinou antigos toques aos filhos Sebastião, de 5 anos, e Benedito,  de 11.  Recrutou depois o amigo  Martinho Grandão para assumir, junto com ele, as percussões. A família Biano percorreu o sertão de Alagoas e Pernambuco por mais de uma década, tocando em festas, casamentos, novenas, enterros e tudo o que viesse. Nas andanças, acabaram parando em Caruaru, em 1939, cidade que verdadeiramente os consagrou. Em 1955, pouco antes de morrer, o patriarca do grupo pediu aos filhos que não deixassem que essa antiga tradição se perdesse. Para tanto, os filhos deveriam juntar ao grupo os demais familiares. Assim o fizeram. Luiz, de 9 anos,  Amaro, de 10  anos, (filhos de Sebastião) Gilberto, de 15  anos, e João, de 11 anos (filhos de Benedito) formaram uma nova banda, batizada com  o nome de Banda de Pífanos de Caruaru. O primeiro disco foi gravado somente em 1972, depois que nosso ex-ministro, Gilberto Gil, “descobriu” a banda e gravou “Pipoca Moderna”, com letra de Caetano Veloso. Nesse mesmo ano, se transferem para São Paulo, onde sopraram seus pífanos em documentários, espetáculos e discos de outros artistas. Benedito era analfabeto e fabricava seus próprios pífanos. Quando tocava em espetáculos, dizia: "eles que afinem pelo meu instrumento,  porque aqui  entre nós  é proibido se  meter a entender  de escala".
Em 1979, a banda assinou contrato com a  Discus Marcus Pereira,  de que resultou a gravação desse disco que postamos para vocês. 
Nele constam a conhecida Pipoca Moderna. Não menos famosa é a Briga da Onça com o Cachorro, em que se desenrola uma briga de sopros. Ouçam a sonoridade única dessa formação típica, e atentem para os ritmos variados e de alegria contagiante. 
Desfrutem !!!

3 comentários:

Adriana disse...

legal...

cabra disse...

recomendo

Phoenix disse...

Muito grata!